Pedágio campanha END POLIO NOW Rotary

GERAR participa do pedágio do Rotary para ajudar a erradicar a pólio no mundo

O GVBS GERAR, em conjunto com o Grupo Escoteiro do Ar 14 Bis, participou ativamente da campanha de pedágio promovida pelo Rotary Jaraguá do Sul Vale do Itapocu neste sábado, dia 08/08/2015, no trevo da ponte Abdon Baptista em Jaraguá do Sul.

Foram mais de 15 pessoas, entre integrantes do GERAR e do GEAr 14 Bis, envolvidas diretamente na abordagem aos motoristas e na conscientização para erradicação da Poliomelite no mundo todo. Atualmente são apenas dois países que ainda sofrem com a pólio, o Paquistão e o Afeganistão, sendo que a Nigéria está a 12 meses sem registro (são necessário 24 meses parta que se considere erradicada a doença), e o Rotary International promove a campanha END POLIO NOW com a finalidade de erradicar esta doença do mundo de uma vez por todas. Os valores arrecadados no pedágio são enviados para o Rotary International, o qual se encarrega de dar o destino correto ao montante arrecado, sendo que a fundação do empresário Bill Gates se comprometeu a doar 2 dólares por cada dólar arrecado na campanha.

O GVBS orgulha-se por ter feito parte de uma campanha tão importante e por poder cooperar, ainda que de forma singela, para a erradicação da poliomelite em todo mundo. Contem sempre conosco.

 

 

Hoje, dia 02 de julho, é dia do bombeiro, você sabe porque?

Breve relato sobre os bombeiros no Brasil

Não é necessário repetir que os incêndios e a necessidade de combatê-los datam de tempos muito remotos e podemos dizer que antes mesmo de qualquer colonização no Brasil, certamente os povos que aqui já viviam se deparavam com o poder do fogo destruindo suas aldeias, seu povo e sua floresta.

Historicamente constam dois grandes e violentos incêndios ocorridos no Brasil no tempo do império. Em 1710 o Rio de Janeiro foi atacado pelo Corsário Francês Jean François  Duclerc, o ataque resultou na destruição total da alfândega e na propagação de um grande incêndio.

No ano de 1732 outro grande e violento incêndio destruiu uma grande parte do Mosteiro de São Bento, o qual havia tido sua reconstrução recém acabada.

Os incêndios, que ocorriam normalmente durante a noite, levaram o Vice-rei Luis de Vasconcelos a determinar, no ano de 1788, por meio de ofício, que todos os cidadãos deveriam iluminar as frentes de suas residências, pois durante a ocorrência de um incêndio a confusão entre as pessoas era muito grande e, naturalmente, agravava consideravelmente a situação, causando ainda mais vítimas.

No ano de 1789 ocorreu outro grande incêndio, destruindo completamente o Recolhimento da Nossa senhora do Porto. O único trabalho especializado na extinção dos incêndios era  o Arsenal da Marinha e atuava  na extinção do fogo que ocorria nas embarcações. Em terra, o trabalho de extinção dos incêndios era realizado pelos aguadeiros e por voluntários. Os aguadeiros eram cidadãos que, devidamente registrados e licenciados, percorriam as ruas da cidade com barris de água que recolhiam em fontes, comercializando a água entre a população.

Em 1797, determinou-se, por meio de Alvará Régio, que o Arsenal da Marinha se tornasse o órgão público responsável pela extinção de incêndio na cidade. Desta data em diante teve início o serviço público de combate a incêndio no Brasil, mais precisamente no Rio de Janeiro. Porém não se tratava de um corpo de bombeiros e sim de outro órgão público desempenhando o papel.

Por solicitação do Inspetor do Arsenal de Marinha das Cortes, Joaquim José Inácio, contida no Ofício  de 26 de março de 1851, deu-se por meio do Decreto Imperial nº 1.775, assinado pelo Imperador Dom Pedro II e promulgada em 02 de julho de 1856, a criação e organização do Corpo Provisório de Bombeiros da Corte sob a jurisdição do Ministério da Justiça.  E já em 1860 por meio do Decreto nº 2.587, o Corpo Provisório de Bombeiros da Corte tornava-se definitivo.

<<Importante ressaltar que a primeira corporação de bombeiros voluntários surgiu na cidade de Joinville/SC no ano de 1892, sendo considerada a mais antiga da América do Sul.>>

A evolução chegava a passos lentos no trabalho dos bombeiros, sendo que apenas em 1865 o Corpo de Bombeiros, do então Distrito Federal, recebeu sua primeira bomba a vapor, a qual era usada para extinção de incêndio em embarcações a beira-mar e necessitava de 20 homens para ser transportada. Dez anos depois a corporação contava com duas bombas a vapor e 16 manuais, sendo que as menores bombas eram transportadas com não menos que seis homens. Logo em 1877 instalou-se o primeiro aparelho telefônico do Rio de Janeiro e ligava uma loja ao quartel do Corpo de Bombeiros.  Com a chegada do motor a explosão, o Corpo de Bombeiros da Capital recebe em 1913 seus primeiros automóveis e desse ponto em diante inicia-se uma nova era e os veículos de tração mecânica passam a ser mais constantes e inseridos nas corporações gradativamente.

Em 1954, Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Dr. Getúlio Vargas, assinou o decreto nº 35.309, o qual instituía o “Dia do Bombeiro” e a “Semana de Prevenção contra Incêndios”. O dia 2 de julho data de assinatura e promulgação do decreto que criou o Corpo de Bombeiros, passou a ser o “Dia do Bombeiro” e a semana em que compreende este dia passou a ser a “Semana de Prevenção contra Incêndios”. 

Com o passar o tempo e com a constante atualização tecnológica ocorrida da década de 60 em diante, os recursos dos bombeiros, tanto em equipamentos e materiais como em conhecimentos, evoluíram consideravelmente, expandindo enormemente sua área de atuação, rompendo os limites do combate a incêndios. Os bombeiros passam a atuar em todo e qualquer tipo de salvamento e socorro, buscando novas técnicas, novas tecnologias e mantendo intercâmbios de conhecimento com inúmeros países, estudando e compreendendo cada vez mais a origem dos problemas e a forma de combatê-los e preveni-los.

Transcrição das páginas 22, 23, 24 e 25 do livro Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul 1966-2011 – Uma História que não deve ser apagada 2013, Paulo de Almeida, Ed.Design)

Palestra ministrada para o Grupo Escoteiro do Ar 14 BIS

Os integrantes do GVBS GERAR Paulo de Almeida e Márcio Ferreira estiveram hoje na sede dos escoteiros do grupo 14 Bis para ministrar a palestra “Minimização de Riscos e prevenção de Acidentes na Prática de Esportes de Aventura”. Esta atividade visa, além de cumprir o papel do grupo como GVBS, promover ainda mais a integração com os diversos grupos existentes em toda a região.

Durante a palestra os escoteiros puderam conhecer melhor o que é o  GVBS GERAR e obter informações de conduta e comportamentos adequados na prática de atividades ao ar livre e esportes de aventura. É importante que todas as pessoas que gostem de praticar esportes que envolvam certo grau de risco estejam conscientes dos riscos existentes e que aprendam a gerenciar estes riscos, preservando assim a sua integridade física e de todos da equipe.

A aproximação com o Grupo Escoteiro do Ar 14 Bis é parte da busca que o GVBS GERAR tem promovido pela integração com o maior número de  grupos e instituições possível, pois entendemos que em situações de maior vulto não existe nenhuma força, seja ela civil ou militar, que possa responder adequadamente de forma isolada, sem o auxílio e o envolvimento de outras equipes.



 

GVBS GERAR realiza treinameto de busca e salvamento em ambientes naturais

Para o aprimoramento das técnicas e a promoção do entrosamento entre os integrantes o GERAR realiza treinamentos periódicos e abordando temas que são importantes para a execução da atividade.

No dia 30 de maio de 2015 foi realizado o treinamento do módulo 11, o qual trata do tema ‘Busca e Salvamento em Ambientes Naturais’ e o estudo deste módulo envolve vários outros dado a sua amplitude operacional. Durante o treinamento os integrantes puderam exercitar temas como Sistema de Comando em Operações, Liderança em Situações de Crise, Operações com Auxílio de Aeronaves, Orientação com GPS, Bússola e Carta Topográfica, Atendimento pré-Hospitalar e técnicas verticais.

O treinamento aconteceu no bairro Três Rios do Norte e contou com a presença e apoio do helicóptero Águia 01 da 2ª Cia do Batalhão de Aviação da Polícia Militar de SC sob o comando do Major Alessandro Machado e também da Defesa Civil de Jaraguá do Sul, na pessoa do excelente profissional Kristian Robson Iachinski.

No transcorrer do treinamento houve acionamento real pelo COPOM e pelo BAPM e o grupo deslocou com o auxílio de viaturas do 14º Batalhão de PM até a divisa entre Schroeder e Joinville, na localidade conhecida como Duas Mamas, para prestar apoio as equipes de bombeiros voluntários de Joinville e Schroeder no resgate de um piloto de quadriciclo que sofreu acidente em uma área de difícil acesso.

Curiosamente o tipo de operação desencadeada pelo acionamento real estava diretamente ligado aos assuntos abordados e estudos durante o dia no treinamento. E é exatamente pra isso que nos preparamos, para estarmos sempre prontos e capacitados para atender os chamados onde quer sejamos solicitados.

Agradecemos ao BAPM, Defesa Civil de Jaraguá do Sul, Bombeiros Voluntários de Schroeder, Bombeiros Voluntários de Joinville e ao 14º Batalhão de PM pela parceriano decorrer do curso e da ocorrência.

Agradecemos especialmente ao Sr. Jackes da empresa Jartex Indústria Têxtil por permitir que o treinamento fosse realizado em sua área particular.

GVBS GERAR participa de simulado promovido pela PMSC/Defesa Civil

Nos dias 22 e 23 de maio de 2015 em Jaraguá do Sul/SC aconteceu um simulado de atendimento a desastres promovido pelo Batalhão de ajuda Humanitária da Polícia Militar de Santa Catarina, comandado pelo Tenente Coronel Adilson Schlickmann Sperfeld. O objetivo do simulado foi treinar o efetivo da polícia militar juntamente com os cadetes (oficiais em formação) da academia e envolveu o 14º Batalhão de Polícia Militar, Secretaria de Defesa Civil de Jaraguá do Sul, Comando da Polícia Militar Especializada (Cavalaria, Polícia Ambiental, CPT), Corpo de Bombeiros Militares de Santa Catarina, Batalhão de Aviação da Polícia Militar de Santa Catarina e os grupos voluntários GRM e GERAR.

O GERAR e o GRM participam ativamente dos simulados organizados pelo Tenente Coronel Adilson Sperfeld no município de Joinville há alguns anos e por este motivo foram convidados, tanto a participar como a instruir em algumas oficinas. Uma oficina tratando sobre autoproteção foi conduzida pelo integrante do GERAR Paulo de Almeida e um grupo de 10 integrantes participaram em campo das atividades juntamente com o efetivo.

Foram realizadas várias oficinas, por onde as diversas equipes passaram durante o período do simulado, realizando exercícios que se aproximam da realidade de um desastre. Foram simulados vários pontos de ocorrência espalhados pela cidade sendo comandados pelo Posto de Comando estabelecido no 14º Batalhão de Polícia Militar. Entre as oficinas estavam: Transposição de águas rápidas, deslizamentos, comunicação, SCO, comportamentos de autoproteção em desastres, progressão em matas, embarque e desembarque etc.

A realização de simulados deste tipo são de suma importância, não apenas pelo conhecimento adquirido e pela oportunidade de aplicar na prática, mas muito mais por promover a integração entre as diversas equipes envolvidas em situações de desastre.

Integrante do GVBS GERAR fará palestra sobre autoproteção na 18ª Prevensul

nova-capa-livro-perspectivaCom base no livro Guia de Autoproteção para Desastres e situações de Anormalidade o integrante do GVBS GERAR, Paulo de Almeida, ministrará palestra sobre comportamentos adequados para reduzir o impacto dos desastres na vida cotidiana das pessoas. O livro,  que foi publicado em 2014 e será republicado pela editora Design de Jaraguá do Sul/SC, foi escrito na intenção de proporcionar a todas as pessoas condições de perceber que existem riscos aos quais todos estão sujeitos e que os impactos podem ser minimizados através de medidas simples de autoproteção.

A autoproteção faz parte da cultura popular em muitos países e é incentivada em nível mundial através de tratados internacionais para redução do risco de desastres e no Brasil pela própria Lei 12608/2012, a qual institui a Política de Proteção e defesa Civil. Através da aplicação das medidas orientadas no livro as pessoas, além de saber como agir em caso de desastres, aprenderão a elaborar um plano de emergência familiar, verão como estar preparado caso algum evento obrigue a permanecer dentro de casa por alguns dias e também caso o acontecimento force o abandono imediato da residência. O guia possui em seu interior formulários que podem ser preenchidos manualmente, transformando o próprio livro no plano de emergência familiar.

O convite para palestrar partiu do organizador do III Encontro Sulbrasileiro de Voluntários em Emergências (Fábio Guizzardi), evento que é paralelo a Prevensul RS – 18ª Feira Seminário de Saúde, Segurança do Trabalho e Emergência, a maior feira de saúde e segurança do trabalho do sul do Brasil.

A palestra acontecerá no dia 24 de abril de 2015 às 11h00 e contará com o lançamento oficial do Guia de Autoproteção para Desastres e Situações de Anormalidade, o qual será distribuído gratuitamente aos participantes (conforme critério da organização).

Mais informações sobre o livro podem ser obtidas através do e-mail comercial@virtuell.com.br ou do telefone (47) 9219-4695.