Hoje, dia 02 de julho, é dia do bombeiro, você sabe porque?

Breve relato sobre os bombeiros no Brasil

Não é necessário repetir que os incêndios e a necessidade de combatê-los datam de tempos muito remotos e podemos dizer que antes mesmo de qualquer colonização no Brasil, certamente os povos que aqui já viviam se deparavam com o poder do fogo destruindo suas aldeias, seu povo e sua floresta.

Historicamente constam dois grandes e violentos incêndios ocorridos no Brasil no tempo do império. Em 1710 o Rio de Janeiro foi atacado pelo Corsário Francês Jean François  Duclerc, o ataque resultou na destruição total da alfândega e na propagação de um grande incêndio.

No ano de 1732 outro grande e violento incêndio destruiu uma grande parte do Mosteiro de São Bento, o qual havia tido sua reconstrução recém acabada.

Os incêndios, que ocorriam normalmente durante a noite, levaram o Vice-rei Luis de Vasconcelos a determinar, no ano de 1788, por meio de ofício, que todos os cidadãos deveriam iluminar as frentes de suas residências, pois durante a ocorrência de um incêndio a confusão entre as pessoas era muito grande e, naturalmente, agravava consideravelmente a situação, causando ainda mais vítimas.

No ano de 1789 ocorreu outro grande incêndio, destruindo completamente o Recolhimento da Nossa senhora do Porto. O único trabalho especializado na extinção dos incêndios era  o Arsenal da Marinha e atuava  na extinção do fogo que ocorria nas embarcações. Em terra, o trabalho de extinção dos incêndios era realizado pelos aguadeiros e por voluntários. Os aguadeiros eram cidadãos que, devidamente registrados e licenciados, percorriam as ruas da cidade com barris de água que recolhiam em fontes, comercializando a água entre a população.

Em 1797, determinou-se, por meio de Alvará Régio, que o Arsenal da Marinha se tornasse o órgão público responsável pela extinção de incêndio na cidade. Desta data em diante teve início o serviço público de combate a incêndio no Brasil, mais precisamente no Rio de Janeiro. Porém não se tratava de um corpo de bombeiros e sim de outro órgão público desempenhando o papel.

Por solicitação do Inspetor do Arsenal de Marinha das Cortes, Joaquim José Inácio, contida no Ofício  de 26 de março de 1851, deu-se por meio do Decreto Imperial nº 1.775, assinado pelo Imperador Dom Pedro II e promulgada em 02 de julho de 1856, a criação e organização do Corpo Provisório de Bombeiros da Corte sob a jurisdição do Ministério da Justiça.  E já em 1860 por meio do Decreto nº 2.587, o Corpo Provisório de Bombeiros da Corte tornava-se definitivo.

<<Importante ressaltar que a primeira corporação de bombeiros voluntários surgiu na cidade de Joinville/SC no ano de 1892, sendo considerada a mais antiga da América do Sul.>>

A evolução chegava a passos lentos no trabalho dos bombeiros, sendo que apenas em 1865 o Corpo de Bombeiros, do então Distrito Federal, recebeu sua primeira bomba a vapor, a qual era usada para extinção de incêndio em embarcações a beira-mar e necessitava de 20 homens para ser transportada. Dez anos depois a corporação contava com duas bombas a vapor e 16 manuais, sendo que as menores bombas eram transportadas com não menos que seis homens. Logo em 1877 instalou-se o primeiro aparelho telefônico do Rio de Janeiro e ligava uma loja ao quartel do Corpo de Bombeiros.  Com a chegada do motor a explosão, o Corpo de Bombeiros da Capital recebe em 1913 seus primeiros automóveis e desse ponto em diante inicia-se uma nova era e os veículos de tração mecânica passam a ser mais constantes e inseridos nas corporações gradativamente.

Em 1954, Excelentíssimo Senhor Presidente da República, Dr. Getúlio Vargas, assinou o decreto nº 35.309, o qual instituía o “Dia do Bombeiro” e a “Semana de Prevenção contra Incêndios”. O dia 2 de julho data de assinatura e promulgação do decreto que criou o Corpo de Bombeiros, passou a ser o “Dia do Bombeiro” e a semana em que compreende este dia passou a ser a “Semana de Prevenção contra Incêndios”. 

Com o passar o tempo e com a constante atualização tecnológica ocorrida da década de 60 em diante, os recursos dos bombeiros, tanto em equipamentos e materiais como em conhecimentos, evoluíram consideravelmente, expandindo enormemente sua área de atuação, rompendo os limites do combate a incêndios. Os bombeiros passam a atuar em todo e qualquer tipo de salvamento e socorro, buscando novas técnicas, novas tecnologias e mantendo intercâmbios de conhecimento com inúmeros países, estudando e compreendendo cada vez mais a origem dos problemas e a forma de combatê-los e preveni-los.

Transcrição das páginas 22, 23, 24 e 25 do livro Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul 1966-2011 – Uma História que não deve ser apagada 2013, Paulo de Almeida, Ed.Design)

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Security Code: