Muitas vezes o trabalho de voluntários, especialmente quando este trabalho está relacionado a atividades de busca, resgate e salvamento, é considerado como amador. Bom, considerando que a diferença básica entre amadores e profissionais está na remuneração pelo trabalho e não pela eficiência e competência no desempenho da atividade, podemos dizer que somos sim amadores. Realizamos o trabalho sem retorno financeiro, porém realizamos este trabalho de forma profissional, com fundamento técnico e com base em muito estudo e treinamento.

Somos voluntários por entender que a responsabilidade pelo bem estar social e pela segurança da sociedade não se restringe as esferas governamentais. Somos todos responsáveis, em maior ou menor escala.

Em nenhum momento e em nenhuma hipótese pretendemos sobrepor ou substituir quaisquer que sejam as forças de resposta, o nosso objetivo é comum a qualquer a qualquer órgão ou entidade, SOMAR ESFORÇOS e tornar mais rápido, mais eficaz e mais abrangente o trabalho de resposta em casos de desastres.

Estamos certos e temos comprovado dia após dia que a integração, além de perfeitamente possível, é o caminho mais sensato para todos os órgãos e entidades, pois “ninguém é mais forte do que todos nós juntos”.

Paulo de Almeida – Diretor presidente – Gestão 2012